Maureen Bisilliat

Hino Canção A nosso pai criador Tupac Amaru O mundo será do homem; O homem do mundo, tudo à tua medida. Desça à terra, Serpente Deus, Infunde-me com teu alento; Ponha as tuas mãos sobre a tela imperceptível que cobre o coração. Dai-me a tua força, pai amando. Tupac Amaru, filho do Deus Serpente, feito com a neve de Salqantay; tua sombra chega ao coração profundo como a sombra do Deus montanha, sem cessar e sem limites. Teus olhos de Serpente Deus que brilhavam como o cristalino de todas as águias, puderam perceber o povir, puderam ver longe. Estou aqui, fortalecido pelo teu sangue, não morto, gritando ainda. Pai nosso, escutai atentamente a voz dos nossos rios; as árvores temíveis da selva grande; o canto endemoniado e alvo do mar. Escutai-os, pai nosso, Serpente Deus. Estamos vivos; todavia somos! Do movimento dos rios e das pedras, da dança das árvores e das montanhas, do seu movimento, bebemos o sangue poderoso, e cada vez mais forte. Levantando-nos pela tua causa, recordando o teu nome e a tua morte! Escutai a vibração do meu corpo! Escutai o frio do meu sangue, seu tremor gelado. Escutai, sobre a árvore, o canto da paloma abandonada e nunca amada; o doce pranto dos rios sem caudal; doas mananciais que brotam. suavemente, ao mundo. Somos todavia! Vozeando o teu nome, como os rios crescentes e o fogo que devora a palha madura; como as multidões infinitas de formigas selváticas lançar-nos-emos, até que a nossa terra seja, deveras, a nossa terra e nossos povos os nossos povos! Temos, cada um de nós, nossa paisagem – Aquela que sabemos ser nossa: Assim foi a Bolívia. O Altiplano. O Kollasuyo que visitei muitas vezes 20 anos atrás: Salar de Uyuni Siglo XX El gran Poder Teimo agora, ao som de KATATAY – “no brilho cristalino das águias” – revelando essas paisagens, reacender uma paixão. Maureen Bisilliat
Assim foi a Bolivia. O Altiplano.
O Kollasuyo que visitei muitas vezes 20 anos atrás
Salor de Uyuni Siglo XX
El Gran Poder
Teimo agora, ao som de KATATAY - "no brilho cristalino das agulas revendo essas paisagens, reacender uma paixão.
Maureen Bisilliat